Entenda de vez o que são as casas conectadas

Ligar e desligar as luzes sem estar em casa, programar o sistema de alarme pelo celular ou acessar o conteúdo da geladeira via Wi-Fi. Saiba como o sonho da automação residencial pode ser realidade.

Imagine essa cena: você está saindo do trabalho, no final de um dia de calor intenso. Graças à tecnologia das casas conectadas e smart homes, pelo celular é possível ligar o ar-condicionado e preparar a sua residência na temperatura ideal, deixar a sua série favorita pronta para começar na TV e ainda saber o que tem na geladeira para o jantar.

O que há alguns anos seria apenas uma cena de filme de ficção científica, hoje já é realidade. Uma tendência que, desde o ano passado, vem ganhando força no Brasil, a partir do interesse de gigantes mundiais em trazer para o país os mais recentes lançamentos do setor.

Se você gosta de saber as novidades do mercado tecnológico, entenda o que são e como funcionam as smart homes e as casas conectadas. E melhor: saiba como preparar a sua residência com o que há de mais moderno em equipamentos e conectividade.

Casas conectadas e smart homes. O que é isso?

Casas conectadas e smart homes (casas inteligentes) são termos utilizados quando queremos nos referir aos ambientes que usam a internet para interligar dispositivos inteligentes. Isso vale para a TV, cafeteira, ar-condicionado, lâmpadas ou tomadas.

Entretanto, existem algumas pequenas diferenças entre ambas, que vamos explicar melhor!

Casas conectadas

A casa conectada permite controlar dispositivos à distância, por meio de aplicativos ou com a utilização de assistentes virtuais, que funcionam por comandos de voz. Ou seja, se você já conta com o Google Assistente, sua casa conectada pode estar pertinho de se tornar real. Basta integrar os ecossistemas.

Isso acontece porque as casas conectadas usam o que há de mais moderno em tecnologia, mesmo para coisas triviais da residência, como acender a luz ou ligar o sistema de alarme.

Casas inteligentes 

Já a casa inteligente utiliza toda essa conectividade para dispensar o comando do usuário na execução de determinadas ações. São as pré-configurações as responsáveis por deixar essa casa digna de Os Jetsons, o desenho do final da década de 60 que fez muitos adultos sonharem com a casa do futuro!

Na Alexa, da Amazon, e no Google Assistente, por exemplo, o caminho para essa automação residencial é chamado de Rotina, enquanto no aplicativo Casa, da Apple, as ações podem ser configuradas em Cenas. Tais ajustes vão tornar possíveis o que citamos lá no início do texto, como a programação do ar-condicionado para proporcionar uma casa fresquinha no final de um dia de verão.

Então, podemos dizer que uma casa inteligente é uma casa conectada. Mas, o que faz tudo isso deixar de ser roteiro cinematográfico? Siga a leitura com a gente!

A internet das coisas

A Internet das Coisas – Internet of Things (IoT) é o termo utilizado para definir a revolução tecnológica cujo objetivo é ligar objetos e dispositivos à rede mundial de computadores. São eletrodomésticos, meios de transporte, roupas e maçanetas conectados à internet e a outros dispositivos, como computadores e smartphones.

De acordo com a Gartner, empresa norte-americana de consultoria, a previsão para esse ano é de que 25 bilhões de objetos estejam vinculados à internet. Para se ter uma ideia do montante que isso representa, em 2015, eram apenas 4,8 bilhões de itens conectados. É um caminho sem volta e que tem no 5G um verdadeiro propulsor.

Quando falamos em IoT nas nossas casas, nos referimos à geladeira, ventiladores, ar-condicionado, portões elétricos, sistemas de som, máquinas de lavar e muito mais. Você sabia que, em 2018, a Amazon lançou o seu primeiro eletrodoméstico, um microondas controlado por voz, via Alexa?

Aliás, Amazon, Apple e Google anunciaram um projeto que vai viabilizar um protocolo de comunicação de código aberto para dispositivos de casa inteligente. O trabalho está em desenvolvimento e acontece em parceria com a Zigbee Alliance (incluindo Samsung, Ikea e Philips), com o nome de “Casa Conectada sobre IP”. A previsão de lançamento é para 2021, demonstrando a velocidade em que tudo isso acontece!

O que é preciso para ter uma smart home?

Será que é possível transformar a nossa casa comum em uma smart home? As maiores representantes da tecnologia mundial já oferecem soluções, como o Google Home. A iniciativa do Google chega para competir com os dispositivos de outras grandes marcas, nos quais uma assistente atende aos comandos de voz dos usuários, como veremos logo em seguida.

Por isso, se você tem interesse em desenvolver um projeto de smart home, especialistas recomendam que o ideal é planejar a execução junto à construção do imóvel, pois são modificações que exigem uma certa infraestrutura.

Apesar disso, configurar uma casa conectada não é nada complicado. Para começar, é preciso apenas um smartphone Android ou um iPhone, onde vão ser baixados os aplicativos de configuração. E as interfaces das assistentes virtuais são bem amigáveis e intuitivas – não precisa ter receio de se aventurar nesse caminho hi-tech.

Também existem no mercado as caixinhas de som inteligentes, que garantem a interação por voz dos equipamentos, como a linha Echo da Amazon e o Nest Mini do Google. A Apple tem o HomePod, que ainda não está disponível para venda no Brasil.

E para ter os equipamentos conectados, existem plugues, tomadas e lâmpadas que funcionam com o Google Assistente e com a Alexa, a exemplo da lâmpada Philips Hue. Se a ideia é um ventilador controlado por voz, você pode investir em um plugue da Positivo. Normalmente, os equipamentos compatíveis vêm com essa descrição na embalagem, para informar com quais ecossistemas eles funcionam.

Um ponto muito importante é não esquecer que a variedade de equipamentos utilizados para transformar uma casa em smart podem colocar a sua segurança e privacidade em risco. Como acontece com tudo o que está ligado à rede, informações sobre o funcionamento dos aparelhos podem estar desprotegidas. Por isso, é fundamental procurar empresas especializadas para efetuar a instalação de dispositivos como fechaduras, sistemas de câmera e monitoramento.

A qualidade dos produtos Nice

A Nice é uma empresa multinacional que se orgulha em ser referência na gestão de sistemas de automação integrados. Com uma gama completa de produtos inteligentes e fáceis de usar, a Nice é reconhecida por ser vanguarda quando se fala em projetos inovadores.

E no ramo da automação residencial, a Nice quer proporcionar ao usuário comodidade e praticidade. Sabe aquela dúvida se o portão de entrada ou da garagem ficou aberto ou fechado? Então, é possível controlar o mecanismo a qualquer momento, de qualquer lugar, a partir do seu smartphone ou smartwatch, graças à interface IT4WIFI, ligada à sua rede Wi-Fi.

Através do ecossistema Yubii, que possui conectividade com diversos produtos Nice, é possível controlar a automação da sua casa de uma maneira muito simples. O Yubii conta com o Core, central de sistema inteligente que integra os dispositivos; controle remoto bidirecional, que envia feedbacks que indicam o status e a recepção do comando correto; e o App MyNice Welcome, que dá acesso a todos os dispositivos integrados ao sistema. O aplicativo está disponível para Android e iOS.

Por meio dele, o usuário consegue programar o desenrolar de determinadas ações em horários e dias pré-estabelecidos, como abrir o portão da garagem de segunda a sexta-feira, sempre às 19h. Já pensou? Isso sem falar em se proteger da chuva ou do frio e poder entrar em casa sem sair do carro.

Para saber mais sobre a qualidade, segurança e durabilidade do ecossistema Yubii, acesse o nosso site!

 

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Outros posts

Inscreva-se em nossa newsletter

Preencha o formulário ao lado para receber nossos conteúdos em seu e-mail.
Não enviamos nenhum tipo de spam.
Acompanhe-nos
NICE BRASIL | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS